Home EDUCAÇÃO Notícias

Educação

Plataforma vai personalizar ensino da EJA no SESI Pará

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

geekie 505x180

Professores e profissionais de Educação do SESI Pará conheceram o novo aliado no modelo educacional do SESI em todo o Brasil. O Programa APRENDA+, de parceria do SESI com a empresa Geekie, consiste em duas plataformas de ensino: Geekie Lab e Geekie Teste. As plataformas permitirão gerar um diagnóstico de aprendizagem para cada aluno fornecendo informações por nível de proficiência, facilitando o processo educacional e proporcionando um acompanhamento adaptado e personalizado. A metodologia será utilizada nas turmas da Educação de Jovens e Adultos a partir de novembro de 2016.

Leia mais...
 

Programa ViraVida capacita e forma nova turma

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

viravidaform 505x180


O programa ViraVida, iniciativa do SESI que atende adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social entre 16 e 21 anos, formou 84 novos alunos no dia 05 de agosto. A solenidade aconteceu no auditório Albano Franco, na sede do Sistema FIEPA.

Leia mais...
 

IV Seminário Estadual do ViraVida aborda o protagonismo juvenil

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

Capa - geral

“Posso dizer que o ViraVida fez uma diferença radical na vida do meu filho. Hoje eu vejo ele se tornando um homem de caráter, focado, com objetivos e isso tem uma importância muito grande pra mim”. O relato é da dona Luzia Souza, mãe de Rodolfo (nome fictício), um jovem de 21 anos atendido pelo Programa ViraVida em Belém. O jovem ingressou no programa há cerca de um ano em um momento difícil: não tinha oportunidades, emprego e nem o ensino médio completo. Além disso, Rodolfo buscava superar a perda recente do tio.


“Com a ajuda da equipe do SESI, eu consegui um bom desempenho no Enem e conquistei o meu diploma do ensino médio. O programa também me ajudou a entrar no mercado de trabalho. Fiz um curso de Operador de Computador, Marketing Digital e Assistente Administrativo, onde estudei e aprendi a desenvolver ideias para me posicionar no mercado de trabalho. Esses conhecimentos me garantiram uma vaga de emprego em uma empresa de telecomunicações”, conta o jovem, que agora se prepara para ingressar em uma faculdade de Cinema e Audiovisual ou de Artes. “A linguagem artística me agrada muito. Agora eu vou em frente e vou à luta”, diz Rodolfo, confiante.


Personagens - Dona Luzia e filhoA família de Rodolfo e dona Luzia foi uma das que estiveram presentes no IV Seminário Estadual ViraVida, realizado no dia 22 de junho. O evento foi voltado para os jovens em situação de vulnerabilidade social atendidos pelo Programa ViraVida no Pará, seus familiares, entidades parceiras e Sistema S. Na programação, os estudantes da 5ª turma do ViraVida participaram com performances artísticas e culturais, apresentação de resultados de ações comunitárias e relatos de suas experiências no Programa.


Com o tema ‘Protagonismo Juvenil: Atitudes humanas transformam o eu, o outro e o mundo’, o seminário teve como objetivo incentivar os jovens a assumir o papel de protagonistas de suas histórias, ou seja, de participar ativamente na resolução de problemas que afetam a eles próprios, às suas comunidades e a sociedade como um todo. A coordenadora do operacional do programa no SESI Pará, Flávia Monteiro, explica que toda a organização do evento é liderada pelos jovens atendidos. “Eles preparam todas as ações, todas as falas e tudo o que vai ocorrer. Também são eles que definem a temática que será abordada e esse ano eles trouxeram debates sobre empregabilidade e o panorama político do jovem na sociedade atual. O protagonismo faz com que o jovem se reconheça como um cidadão de direitos e se sinta pertencente e capaz de mudar a sociedade”, explica a coordenadora.


Empregabilidade - O ViraVida promove restituição de direitos, oferecendo educação continuada, acompanhamento psicossocial, educação profissional e inserção no mundo do trabalho. Em Belém, cerca de 500 jovens já foram atendidos pelo programa e, desse total, 52% foi inserido no mundo de trabalho.


Para o coordenador estratégico do programa e Gerente do SESI Indústria Saudável, Luiz Negreiros, a inserção do jovem no mercado de trabalho é uma forma de unir a necessidade de mão de obra da empresa com a necessidade de emprego e renda do jovem. “Fazemos estudos de mercado com as empresas que são nossas parceiras para identificar o perfil de profissionais que elas precisam. Então, formamos os jovens de acordo com essas demandas com o apoio Personagens - Luiz Negreirosdo SENAI e de outras instituições parceiras do Sistema S. O resultado disso é o aumento da taxa de empregabilidade desses jovens, mais da metade dos alunos do ViraVida ingressaram com sucesso no mundo do trabalho”, comemora Negreiros.


Sobre o Programa - O Programa ViraVida foi criado pelo Departamento Nacional do SESI em 2008 e atende adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social entre 16 e 21 anos, com foco nas vítimas de violência sexual. O jovem em situação de vulnerabilidade social é aquele que, de alguma forma, está excluído das políticas públicas de saúde, educação, cidadania, esporte, lazer e cultura e do acesso a bens de consumo.
O ViraVida funciona com o apoio de uma rede de organizações parceiras que atuam na proteção de crianças e adolescentes e encaminham os jovens que se enquadram no perfil do programa para participar de ações de educação, qualidade de vida e assistência social. O Projeto Reviver, o Lar Fabiano de Cristo, a FUNPAPA, a SESPA, a Fundação Pro Paz, a Santa Casa do Pará, o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e o Tribunal de Justiça do Estado do Pará são algumas das instituições parceiras do SESI no estado.

 

Projeto Voto Cidadão é tema de palestra na Feira do Livro

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

feirapan 505x180

Dezenas de pessoas participaram da palestra sobre o projeto Voto Cidadão, realizada no dia 02 de junho, dentro da programação da XX Feira Pan-Amazônica do Livro. A iniciativa, que é realizada desde 2010 pelo Sistema FIEPA, foi apresentada pelo Superintendente do SESI Pará, José Olimpio Bastos que após a palestra autografou os livros de sua autoria ‘Senhor Cidadão, você é o patrão’ e ‘A força do cidadão’.


O Voto Cidadão é desenvolvido por meio de parceria com o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE), o Ministério Público Federal e a Ordem dos Advogados do Brasil, seção Pará (OAB-PA). A intenção é orientar o cidadão a ser um bom contribuinte, a partir da conscientização de que o montante de recurso público é formado pela contribuição de cada cidadão, por meio do pagamento dos impostos, como cada um deve escolher bem os seus gestores e acompanhar a aplicação adequada desses recursos.


feirapan 350x250Por meio do projeto, esta informação chega a diversos espaços, como empresas, escolas e centros comunitários, tudo com o apoio de livros, cartilhas, vídeo e uma peça teatral. Todo o conteúdo está disponível no site www.votocidadao.com.br

"Todos nós fazemos parte do processo democrático. O voto de cada um é importante para mudar a realidade em que estamos hoje. Portanto temos que nos esclarecer sobre o assunto, buscar informações sobre os candidatos e orientar o máximo de pessoas sobre o projeto e como participar", disse o Superintendente.


Crescimento - O projeto também foi atração do I Simpósio de Direito Eleitoral da OAB Pará, realizados no dia 30 e 31 de maio, na Faculdade Ideal. O evento reuniu estudantes, advogados, promotores e demais profissionais com interesse no processo eleitoral.


feirapan2 350x250Além de conhecer a iniciativa, os participantes do simpósio acompanharam a apresentação da peça ‘Senhor cidadão, você é o patrão’, encenada pelo grupo Experiência.


A história é baseada em uma situação real. Durante conversas entre um feirante chamado Juca e seus clientes, principalmente um senhor chamado de Seu Zé, os espectadores são esclarecidos sobre seus verdadeiros direitos e deveres como cidadãos. Nos diálogos da peça são tratados assuntos como voto, cidadania, diferença de poderes federal, estadual e municipal, impostos, entre outros, utilizando uma linguagem popular, tornando a compreensão mais fácil e leve.

 

Programa ViraVida realiza ato conta a violência sexual no Pará

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

 

capa matéria
Em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, ocorrido em 18 de maio, o Programa ViraVida, do SESI, realizou um ato de conscientização em frente ao Terminal Rodoviário de Belém, em São Brás. Na ocasião, os jovens participantes do Programa protagonizaram peças teatrais e apresentações de música e dança com a temática do enfrentamento da violência sexual. Além disso, o evento reuniu técnicos e parceiros do ViraVida, que distribuíram folders, apresentaram cartazes e fizeram discursos de conscientização para alertar a sociedade de que é dever de todos zelar pela proteção da infância e juventude.


A ação atraiu os olhares de quem passava pela entrada do terminal. A ciclista Maria Ana assistiu as apresentações de dança e teatro enquanto acompanhava uma amiga até a rodoviária. Para ela, ações de conscientização são necessárias porque mantém as pessoas atentas à questão do abuso e exploração sexual. “Eu acho que é bom esse tipo de campanha porque a gente fica alerta, né? Ainda hoje em dia tem gente que faz vista grossa sobre isso, que é uma coisa que acontece ao nosso redor toda hora e todo dia”, relata.


Estatísticas do Disque 100, canal de denúncias telefônicas ligado à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH-PR), mostram que em 2015 foram feitas 4973 denúncias de violação de direitos de crianças e adolescentes no Pará. Desse total, 819 foram denúncias de violência sexual. No Brasil, foram mais de 153.500 denúncias de violação de direitos da criança e adolescente, sendo mais de 17 mil delas relacionadas à violência sexual.

Entrevista - FláviaO alto número de casos relatados mostra a importância de ações de combate a esse tipo de crime. A coordenadora operacional do ViraVida no Pará, Flávia Monteiro, explica que as consequências do abuso e exploração sexual são sérias e podem acompanhar as vítimas pelo resto da vida. “Temos observado que quando ocorre o abuso ou exploração sexual contra crianças e adolescentes, as vítimas acabam tendo uma baixa autoestima. Isso é uma coisa que vai influenciar pro resto da vida porque traz diversas outras dificuldades, como a questão da baixa escolaridade, já eles perdem a vontade de estudar; a questão dos vínculos familiares que se tornam fragilizados ou até mesmo rompidos; a perda da confiança em si mesmo e o tudo isso faz com que a vítima tenha uma baixa capacidade pro estudo e pro mercado de trabalho”, relata.


Parceiros – Para o enfrentamento ao abuso e exploração sexual, o ViraVida conta com uma rede de parceiros em 18 estados do Brasil. No Pará, entidades como Projeto Reviver; Lar Fabiano de Cristo; FUNPAPA, por meio do CREAS Manoel Pignatário e Abrigo Dulce Accioli; UREMIA, Propaz, Santa Casa e Renato Chaves também participaram da ação de conscientização do dia 18.


Além disso, a ação no Terminal Rodoviário foi a primeira em que o Juizado da 1ª Vara Cível da Infância e Juventude, do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), participou como parceiro do Programa ViraVida. Para a comissária da Infância e Juventude do TJPA, Ivone Lourinho, a rede de parceiros é importante para fortalecer o movimento e dar visibilidade à causa. “Ter uma rede de parceiros é fundamental. Nós temos contato maior nessa rede com os conselheiros tutelares e com a DATA, mas com o SESI é a primeira vez que realizamos essa parceria. É uma grande novidade e uma alegria saber que o SESI faz esse trabalho e faz parte dessa rede de proteção. Realmente eu fiquei surpresa quando eu li sobre o que se tratava no ViraVida, achei um trabalho bonito e que precisa ser cada vez mais mostrado pra sociedade”, relata.


Histórico - No dia 18 de maio de 1973, uma garota de 8 anos foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e assassinada em Vitória, capital do Espírito Santo. O corpo de Araceli Cabrera Sanches apareceu desfigurado por ácido em uma rua movimentada da capital capixaba. Apesar da repercussão do caso, as denúncias não foram suficientes e os acusados do crime saíram impunes. Para conscientizar a sociedade da importância de denunciar crimes dessa natureza, a data da morte de Araceli se tornou o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.


Apresentação teatralO Programa ViraVida foi criado pelo SESI em 2008 e atende adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social entre 16 e 21 anos, com foco nas vítimas de violência sexual. O jovem em situação de vulnerabilidade social é aquele que, de alguma forma, está excluído das políticas públicas de saúde, educação, cidadania, esporte, lazer e cultura e do acesso a bens de consumo. Por conta dessa vulnerabilidade, esse grupo está sujeito a cair na rede da exploração sexual ou sofrer violações por parte da própria família e do Estado.


O ViraVida promove restituição de direitos, oferecendo educação continuada, acompanhamento psicossocial, educação profissional e inserção no mundo do trabalho. No programa os jovens têm a oportunidade de resignificar a dor e o sofrimento, transformando as carências em competências o que os auxiliará no seu desenvolvimento como ser humano, favorecendo o seu crescimento social e pessoal. Em Belém, cerca de 500 jovens já foram atendidos pelo programa e, desse total, 52% já foi inserido no mundo de trabalho.

 
Página 3 de 14
Follow us on Twitter

Transparencia

Acesso Rapido

 

banner-eletrnico_facebook-SESI-Par


banner site-redes

Publicidade

 banner-corrida-2017-final

  

 banner eletrônico preinsc2017 

 

Banner Eletrônico SESI EAD

 

 

 

 

 


Últimas Notícias

Mais Acessados